Sindicato Rural de Catalão

Encontro discute demandas das Federações do Centro-Oeste


32-reuniao-da-diretoria-executivaSeguro rural, infraestrutura e logística, cenário atual da cadeia leiteira e melhoria da competitividade da agropecuária brasileira. Estes foram alguns dos temas discutidos durante a 32ª Reunião da Diretoria-Executiva da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que ocorreu nesta quarta-feira, 18, na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), em Goiânia (GO). O encontro teve a presença de representantes e diretores da CNA, além de presidentes de Federações da Agricultura e Pecuária da região Centro-Oeste do país.

Segundo o presidente da CNA, João Martins, o intuito das reuniões itinerantes é de promover aproximação com o produtor rural, tendo as federações estaduais como representantes desse público. “Estamos buscando conhecer melhor o produtor rural brasileiro, as cidades onde eles vivem e também a realidade de cada região. Queremos ouvir as demandas de cada local e contribuir para traçar estratégias de melhorias”, afirmou.

No primeiro momento – com a presença da diretoria da CNA -, foram colocados em pauta assuntos estratégicos e estatutários da Confederação. Já em segundo momento do encontro, participaram presidentes das Federações da Agricultura da região Centro-Oeste e demais convidados. “O objetivo é discutir problemas, soluções, cenários e demais assuntos da região que recebe a reunião, que neste caso foi o Centro-Oeste, com informações de Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul”, explicou o presidente da Faeg, José Mário Schreiner – que também é 2º vice-presidente da CNA.

De acordo com ele, esses encontros são importantes para os estados, porque contribuem para posicionar a realidade de cada um, ouvir as principais demandas, trocar experiências, propor melhorias e buscar soluções para melhorar a competitividade da agropecuária regional. “É a oportunidade única de reunir, em um mesmo local, pessoas que representam a nossa agropecuária e que atuam para construir um agro mais forte e produtivo. Discutimos assuntos que integram a rotina do nosso produtor e que muitas vezes têm dificultado o desenvolvimento da atividade. É o espaço para conhecer a realidade local e propor as melhorias necessárias para cada estado”, destacou José Mário.

Durante a reunião com os representantes das federações, o tema seguro rural foi levantado na mesa de discussões, principalmente solicitando apoio da CNA para cobrar do governo federal mais atenção aos subsídios ao produtor. Outra questão debatida foi em relação à infraestrutura da região Centro-Oeste, que apesar da pujança e importância para o setor agrícola e pecuário no país, ainda carece de melhores vias de escoamento da produção. “Sabemos que é uma região que não dispõe de infraestrutura adequada e isso onera demais o produtor rural”, relatou João Martins.

A melhoria do atual cenário da cadeia leiteira em Goiás também fez parte das demandas dos envolvidos na reunião na capital goiana. Foi solicitada à CNA ajuda para buscar soluções para o produtor de leite goiano e de outros estados da região Centro-Oeste, que tem sofrido com os preços pagos pelo litro do leite. “Sabemos que não é um problema que vai se resolver a curto prazo, mas precisamos atender essa demanda e criar novo sistema para valorizar a produção leiteira no país, principalmente em Goiás, assim como tem sido feito com a carne. Precisamos tornar a cadeia leiteira mais profissional, com produto de qualidade e com maior competitividade para concorrer nos mercados internacionais”, ressaltou.

Encontro

Entre os assuntos debatidos e propostos pelos representantes da Faeg à CNA está ainda a realização de um encontro de todos os Sindicatos Rurais brasileiros. “Recebemos essa demanda de Goiás. Caso não seja possível reunir todos em Brasília, podemos avaliar a possibilidade de promover esses encontros regionais. Essa proposta segue os objetivos da CNA, ou seja, de estar cada vez mais próxima do produtor e ouvir as necessidades desse público. Isso fortalece nosso setor e estimula a agropecuária brasileira”, acrescentou João Martins.

Texto: Fernando Dantas


#compartilharcomamigos

Footer